Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Crónica

Bestas quadradas

Será que nenhum dos deputados que votou contra alguma vez deu de comer a gatos e cães que têm a infelicidade de viver na rua?

É um choque descobrir que um acto humano de bondade básica – dar de comer e beber aos animais que vivem na rua – é proibido.

É o contrário de tudo o que sempre nos ensinaram. Se é proibido orgulho-me de todas as vezes em que cometi a ilegalidade de dar comida e água a uma arca de Noé de bichos que precisavam – e a alguns que nem queriam.

O PAN decidiu tentar acabar com esta proibição não só porque é imoral e cruel e desumana mas porque não faz sentido o esforço enorme que tem sido feito para esterilizar gatos de rua que assim podem continuar a viver em colónias.

Votaram contra o projecto do PAN o PSD, o CDS e o PCP. Os Verdes abstiveram-se. Só votaram a favor o PS, o BE e o PAN.

Será que nenhum dos deputados que votou contra alguma vez deu de comer a gatos e cães que têm a infelicidade de viver na rua? Muitos deles são abandonados. Habituaram-se a ser alimentados pelos “donos” e não sabem sobreviver sem ajuda.

Era bem feito que o mundo que nos visita e que tanto se encanta com Portugal e connosco ficasse a saber que, enquanto cá está a saborear ginjinhas e pastéis de nata com chouriço, está proibido de dar uma migalha a um gato ou um cão ou um passarinho – esses que ficam tão pitorescos no Instagram.

Talvez se possa reconfigurar a estátua de Charters de Almeida mandada executar pela Câmara de Lisboa na Praça São Francisco de Assis em Telheiras com uma legenda: “Não façam como ele fez. Façam como nós dizemos: deixem morrer os animais que lhe pedem comida e água.” Em inglês, com as siglas PSD, PCP e CDS.