Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

Bruno Lage assume possibilidade de chamar Jota ao “onze”

O Benfica recebe o RB Leipzig nesta terça-feira, às 20h, no primeiro jogo na Liga dos Campeões 2019/20. O técnico “encarnado”, a cumprir castigo, não estará no banco de suplentes.

Lage no treino de preparação para o jogo frente ao Leipzig LUSA/RUI MINDERICO

Bruno Lage, treinador do Benfica, deixou em aberto a possibilidade de, em função dos cinco defesas habitualmente utilizados pelo RB Leipzig, fazer mudanças no “onze” mais utilizado, para o jogo frente aos alemães (terça-feira, 20h). O técnico respondeu, concretamente, à possível inclusão de Jota na frente, jogador mais móvel do que Raúl de Tomás.

“Não vou responder”, começou por dizer, nesta segunda-feira, na antevisão da partida, antes de reconhecer: “É uma possibilidade [chamar Jota]. É uma opção para quando o adversário joga com uma linha de cinco defesas”.

Este jogo será a estreia do técnico na principal prova europeia de clubes, mas Lage terá de assistir fora do banco de suplentes – cumpre castigo, após a expulsão em Frankfurt, na Liga Europa, na época passada. O técnico garantiu, no entanto, que a restante equipa técnica estará à altura da responsabilidade.

“Só será diferente em presença física. O importante é preparar a equipa da melhor maneira. A nossa dinâmica de trabalho não se vai alterar. Teremos analistas a preparar o que será importante dizer ao intervalo e pessoas a ver de cima e a comunicar com o banco. Nada se vai alterar e confiamos em todos”. E disse, ainda, onde verá o jogo: “Vou ver o jogo no meio dos adeptos. Já que não posso estar o banco, quero sentir o calor”.

Sobre o adversário desta terça-feira, Lage falou de uma equipa capaz de jogar em vários sistemas. “É um adversário que gosta de ter bola, aproveitar a largura, construir por trás e atacar a profundidade. Com o Bayern [último jogo, na Bundesliga], utilizaram um sistema na primeira parte e outro na segunda, mas com formas de jogar semelhantes”, detalhou, acerca da equipa alemã.

Por fim, o técnico “encarnado” garantiu que Pizzi, Rafa e André Almeida, ausentes do treino desta segunda-feira, não têm “nada de especial nem anormal”, falando de gestão de esforço perante a proximidade dos jogos frente a Gil Vicente e RB Leipzig.