Todos os artigos são redigidos segundo o português escrito em Portugal e não adoptam o novo Acordo Ortográfico.

O “banquete” da Champions começa com jogos de “abrir o apetite”

Messi pode jogar pela primeira vez esta época no embate entre o Borussia Dortmund e o Barcelona.

Messi LUSA/Alejandro García

No arranque da fase de grupos da Liga dos Campeões, há vários jogos que despertam a atenção. Em especial dois deles. No Grupo E, Nápoles e Liverpool reencontram-se um ano depois, com os napolitanos a quererem “ajustar contas”. No grupo F, Borussia Dormund e Barcelona medem forças, pela primeira vez, depois do único embate que tiverem na história das competições europeias: uma Supertaça europeia ganha pelos catalães, em 1997.

Em Nápoles, contra o campeão europeu de clubes em título, o emblema italiano vai tentar repetir o desfecho da partida da época anterior (quando ganhou pela margem mínima, com um golo de Insigne no minuto 90). A formação orientada por Carlo Ancelotti teve uma pré-temporada relativamente agitada em termos de transferências. Dos que chegaram, Hirving Lozano é o homem em destaque nos napolitanos. Chegou do PSV por 46 milhões de euros e já conquistou os adeptos - marcou na sua estreia, frente aos rivais da Juventus.

Já o Liverpool, líder isolado da Premier League, com cinco jogos disputados e outras tantas vitórias no bolso, é a única equipa só com triunfos na Liga inglesa e chega a Itália com o moral em alta. Com 11 golos marcados nos últimos quatro jogos, os “reds” são uma máquina de fazer golos, tendo nos africanos Sadio Mané e Mohamed Salah os seus homens mais perigosos.

Em Dortmund, o Barcelona poderá voltar a contar com a inspiração de Messi – o rei dos golos na fase de grupos (66, contra 61 de Ronaldo). O futebolista argentino ainda não jogou esta temporada devido a uma lesão contraída na pré-época mas Ernesto Valverde convocou-o para a partida frente ao Borussia. “Amanhã [hoje] decidiremos se joga ou não”, afirmou o treinador dos catalães na conferência de imprensa de antecipação do jogo, o primeiro entre os dois emblemas, presenças habituais nas competições europeias mas que nunca se defrontaram antes, com excepção da tal final da Supertaça europeia de 1997.

O Ajax, que tão bem se comportou na edição do ano passado, chegando às meias-finais, também começa nesta terça-feira a sua participação na Champions. Em caso de vitória sobre os franceses do Lille os holandeses podem alcançar o seu 200.º triunfo nas taças europeias (algo também ao alcance do Benfica, se os “encarnados” derrotarem o RB Leipzig). Se o fizerem, entram num restrito lote de emblemas, por enquanto com apenas seis clubes: Barcelona, Real Madrid, Juventus, Bayern Munique, Liverpool e AC Milan.

O treinador Erik ten Hag, contudo, desvaloriza estes aspectos históricos e tenta que toda a gente desça à terra, depois da brilhante caminhada efectuada a época passada. Sem os lesionados Donny van de Beek e Noussair Mazraoui e já sem os transferidos De Jong, De Ligt e Dolberg, o técnico do Ajax foi claro em sublinhar como é importante não viver do passado: “É muito cedo para falarmos se vamos conseguir repetir o que fizemos a temporada passada. Estamos agora a começar a fase de grupos e a prioridade é jogar para ganhar amanhã [hoje].”

Calendário

Grupo E

Nápoles-Liverpool – 20h; Salzburgo-Genk – 20h.

Grupo F

Inter de Milão-Slavia Praga – 17h55; Borussia Dortmund-Barcelona – 20h.

Grupo G

Lyon-Zenit – 17h55; Benfica-RB Leipzig – 20h.

Grupo H

Chelsea-Valência – 20h; Ajax-Lille – 20h.